CONTEXTO

No âmbito das novas competências e emprego, um dos objetivos da agenda da Europa 2020 é a melhoria das condições de trabalho, e, consequentemente, da sua qualidade. Um dos pilares da agenda é o quadro jurídico da Segurança e Saúde no Trabalho (SST), ao abrigo da diretiva dos Princípios e Direitos Fundamentais no Trabalho, parte da política da UE sobre emprego e assuntos sociais.

  • "Na Europa, 25% dos trabalhadores diz experienciar stress profissional durante a maior parte do seu horário de trabalho, e uma percentagem equivalente admite que o trabalho afeta negativamente a sua saúde".

PÚBLICO ALVO DO PROJETO

O Quadro estratégico da UE para a Saúde e Segurança no Trabalho (2014-2020) realça a importância de prevenir as doenças e perigos relacionados com o trabalho, abordando riscos novos e emergentes, nomeadamente aqueles que derivam do uso (ou uso excessivo) de tecnologia digital (TD). Recentemente, a utilização de tecnologias (ou a utilização em excesso das mesmas) tem contribuído para o agravamento de certas doenças e potenciado o desenvolvimento de novos problemas de saúde como dificuldade de concentração, perdas cognitivas, défice de competências sociais, sentimentos de solidão, etc.

Funcionários e proprietários/gestores de PMEs serão os utilizadores finais e principais destinatários do projeto

Formadores vocacionais e profissionais, consultores de Recursos Humanos (RH) e de Saúde e Segurança

Associações profissionais

Executivos na área da Segurança e Saúde no Trabalho (SST) e entidades governamentais

O QUE É O TECNOSTRESS?

O projeto “Desenvolver competências de resistência ao stress @PMEs” (DeSTRESS) pretende desenvolver uma formação vocacional e profissional para responder a este problema. Basendo-se em investigação científica previamente desenvolvida, os parceiros irão produzir um currículo para formação profissional e vocacional, apoiado numa plataforma digital inovadora. Esta será desenvolvida usando as técnicas mais recentes de gamificação e formação baseada em jogos, complementadas por um conjunto de ferramentas e recursos práticos que facilitarão a transferência do conhecimento para o local de trabalho. Este espaço digital irá apresentar os principais riscos de saúde provocados pela TD e o seu impacto real na vida individual dos trabalhadores e na produtividade das empresas. Na plataforma, os utilizadores irão poder assumir diferentes papéis, de forma a perceberem se já experienciaram uma determinada situação apresentada, a avaliarem como esta se desenrolou e a verem quais as soluções sugeridas para cada cenário. Para além de consciencializar sobre o problema, tal irá permitir que os gerentes e executivos planeiem estratégias para mitigar o stress profissional e as suas consequências negativas. Para tal, um relatório de políticas e recomendações será também elaborado.

OS CINCO TECNO-STRESSORES ACEITES ​

De acordo com o último inquéríto europeu sobre as condições de trabalho (Eurofund, 2017), o número de trabalhadores que usam as tecnologias de informação (TI) está a aumentar. Embora as TI tenham contribuído para a melhoria de muitos aspetos das nossas vidas diárias (por exemplo, ao reduzir as distâncias, permitir o acesso a e o processamento de grandes quantidades de informação, etc.), também podem provocar efeitos adversos (La Torre et al. 2019). Ragu-Nathan et al. (2008) define o techno-stress como aquele que é causado ao utilizador pelo uso das tecnologias.

Refere-se ao potencial de uma TIC para levar um funcionário a trabalhar mais rápido e por mais tempo.

Refere-se à invasão da vida pessoal dos funcionários, através das TIC, já que os mesmos podem ser contatados a qualquer momento para realizar tarefas de trabalho. Deste modo, sentem a  necessidade de estar constantemente conectados.

Refere-se à qualidade inerente de uma TIC que faz os funcionários se sentirem inadequados no que diz respeito às suas habilidades de informática. 

Refere-se às constantes mudanças e atualizações de software e hardware que podem causar stress aos funcionários. 

Refere-se a situações em que os trabalhadores se sentem ameaçados de perder os seus  empregos.

1 week ago

Technostress, or digital stress, has many negative consequences. Can we recognize the symptoms of technostress and its sources (techno-stressors)? How to deal with it? Can digital hygiene help with wellness? What is psychological fitness and how to train mental resilience and fight digital stress? How should the employer take care of his employees in the era of remote work?All these issues were discussed during the Seminar-Workshop entitled "Digital stress - how to deal with it?", that took place on May 12, 2022 organised by Fundacja Małopolska Izba Samorządowa in the cooperation with WSEI Kraków - Wyższa Szkoła Ekonomii i Informatyki.During the seminar, the following lectures were given by:🖌PhD Tomasz Czapran (WSEI in Krakow) on "Remote work and digital stress. How to take care of your employees?";🖌Ms Katarzyna Matyjewicz from IBM on "Psychological fitness - how to train mental resilience and fight digital stress;🖌Mr Kamil Śliwowski on "How to take care of digital well-being?"In the second part of the seminar a workshop was held, where participants tested the educational game on the DeSTRESS platform, which describes real situations in the work environment related to stressors caused by techno-stress.The seminar was organized as part of the project "Developing Competences for Stress Resilience @SMEs” DeSTRESS, implemented in partnership with universities and organizations from Portugal, Spain, Italy, Greece, Ireland and Poland, and financed by the Erasmus + Program ... See MoreSee Less

1 month ago

How to maintain a healthy balance between real and virtual life?📱💻📧We are surrounded by technology that not only provides us with entertainment, but also allows us to perform professional duties without leaving home. Video conferences, e-mails, instant messaging make life easier, but they can also have negative effects on our health, especially mental health.👇👇👇A conscious manager should also take care of digital well-being in the company.See the DeSTRESS training platform that develop competences to cope with technostress, using the latest techniques in game-based training and gamification, complemented by a set of practical tools and resources to facilitate the transfer of learning into the workplace.⤵destress.eu/training/Follow us on LinkedIn 👉https://www.linkedin.com/company/destress-project/#destress #stress #workfromhome ... See MoreSee Less